Concursos do TJRJ: Como intensificar os estudos em tempos de quarentena
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 14/04/2020 16:11

Uma das maiores dificuldades relatadas por quem quer prestar um concurso público é a falta de tempo para estudar. Como conciliar trabalho e faculdade com o estudo pesado para as provas? No entanto, quem pretende fazer os concursos para técnico de atividade judiciária ou para analista judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro ganhou um aliado inesperado: a quarentena imposta pelo governo por causa no novo coronavirus. 

Mas como fazer esse tempo extra que os candidatos receberam render mais? O serventuário Henrique Bráulio da Silva, que trabalha na 14° Vara da Fazenda Pública, conta que fazer muitos exercícios e aprender a dizer “não” a atividades que acabam roubando o tempo do estudo foram a chave  para que ele passasse no concurso: 

- A dica que posso dar, porque foi essencial pra mim, é fazer muitos exercícios em sites especializados em concursos públicos. O período de isolamento é perfeito para estudar, pois um dos obstáculos para quem faz concurso é lidar com a família e os amigos chamando para sair. Agora, o candidato não pode sair por ordem do governador – diz  Henrique. 

 

                          O serventuário Henrique da Silva acredita que o período de isolamento acabou tornando-se aliado do candidato

 

Ele lembra que, em alguns desses sites, o candidato pode selecionar as questões pela banca, pela instituição ou pela matéria desejada, e que os próprios alunos fazem comentários que facilitam o entendimento das respostas. 

Estudar por provas anteriores é a dica da analista judiciária Fátima Ludwig, que trabalha como assistente de desembargador: 

- Optei por estudar em casa, sem cursinho, mas com uma jornada intensa nos dias que antecederam a prova. Priorizei os temas mais cobrados nos concursos anteriores e respondi a muitas questões de provas passadas. Deu certo. Fui aprovada dentro do número de vagas e chamada para tomar posse em seguida. 

A criatividade também pode ser um grande aliado do candidato. Ana Cristina Teixeira, que trabalha na 4° Câmara Criminal, conta que inventou um método de estudo que acabou dando certo: 

- Quando comecei a estudar para o TJ, eu mesma fiz uma apostila com cerca de 300 perguntas. Conforme eu estudava, criava uma pergunta e colocava quatro respostas possíveis. No final da semana,  eu respondia. Assim, eu ia aferindo o meu conhecimento da semana. Como estava desempregada, estudava em casa. Foram três meses de estudos. Eu tirava de três a quatro horas por dia para as leituras – conta. 

Charles Radics, lotado no Serviço de Apoio à Comissão do Concurso para Ingresso na Magistratura (Seaco), conta que estudou em apostilas e livros e também indica a realização de exercícios para fixação do conteúdo:  

- Estudei sozinho cerca de oito horas por dia, durante três meses. Comprava as apostilas em bancas de jornais, pois na época não existiam os cursos on-line. Então, estudava em livros e apostilas e fazia muitos exercícios, o que foi um diferencial para mim.  

 

                          Aproveitar o tempo para fazer muitos exercícios é a dica do analista judiciário Charles Radics

 

Hoje em dia, os candidatos contam com outras opções: os cursos on-line, que oferecem conteúdo e exercícios, são a maneira mais fácil e econômica de estudar em casa, aproveitando bem o tempo de confinamento. Essa é a dica da técnica judiciária Nícia Sales, que trabalha na 19° Câmara Cível: 

- Além de ler por inteiro as leis que caem nos concursos, é bom assistir aulas on-line, principalmente dos assuntos que o candidato não domina. Fazer mapas mentais ajuda a fixar o que aprendeu – ensina Nícia. 

Fátima Ludwig, porém, lembra que, apesar de toda a tecnologia com que os candidatos podem contar hoje em dia, ela, por si só, não basta:  

- Hoje, existem muitas ferramentas para auxiliar os candidatos, porém, o sucesso vai depender mesmo é de disciplina e estudo – ressalta a servidora. 

                              Disciplina e estudo são a chave para o sucesso no concurso, na opinião da assessora de desembargador Fátima Ludwig

 

Os concursos do Tribunal de Justiça do Rio vão oferecer  85 vagas para técnico de atividade judiciária e 75 vagas para analista judiciário. Em decorrência do enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, o presidente do TJRJ, desembargador Claudio de Mello Tavares, determinou sua suspensão temporária. No momento oportuno, serão divulgados o cronograma ajustado e a reabertura do período de inscrição, com novo prazo de pagamento. 

 

Enquanto isso, foco nos estudos, seguindo as dicas de quem já alcançou a aprovação.  

 

SF/ FB