Emoção marca entrega de certidões de nascimentos de crianças e jovens que ganharam uma nova família na Semana Nacional da Adoção
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 30/05/2022 09:32

Uns não continham as lágrimas. Outros esbanjavam sorrisos. Mas o sentimento que dominou todos que participaram da cerimônia de entrega de certidões de nascimentos de crianças e jovens que ganharam uma família era um só: gratidão. A entrega dos documentos a 26 famílias foi realizada numa verdadeira festa, com direito a bolo, salgadinhos, balões coloridos e aconteceu na manhã desta sexta-feira (27/5) na sede da 1ª e 2ª Varas da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital, no Centro do Rio, e marcou a Semana Nacional da Adoção.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, presidiu a cerimônia de entrega das certidões de nascimento e disse que todos os presentes dividiam um dos sentimentos mais nobres do ser humano: o amor. Ele entregou os documentos à família do pequeno Lorenzo, de 3 anos, e da jovem Íris Ferreira de Souza, de 14 anos.

“Esse é o momento mais importante e especial que a gente pode ter na Semana da Adoção, promovida pelo CNJ. Nós chegamos a essa solenidade, essa festa em que vocês vão coroar um trabalho que vai proporcionar o começo de uma nova vida. Essas crianças é que escolheram vocês. Tenho certeza que a casa de todos aqui estará mais cheia de carinho e amor. Agradeço a todos aqui de coração pelo trabalho e acolhimento”, disse o presidente do TJRJ.

Isabela, Rodrigo e Gabriel: uma história de amor que começou com dois filhos

Sentada na primeira fileira estava Isabela, Rodrigo e uma história de amor: o pequeno Gabriel, de 2 anos. Ela conheceu o menino há um ano em Resende, no Sul do Estado. Foi um telefonema que mudou sua vida. Gabriel estava pronto para adoção. Com necessidades especiais, Gabriel teve paralisia cerebral ao nascer, tem microcefalia e epilepsia. Mas o amor dessa psicoterapeuta pelo filho é maior que tudo. Hoje Isabela e Rodrigo tem dois filhos: Gabriel, com dois anos e Heitor, com apenas um mês. Ou seja, em menos de um ano, ela ganhou dois filhos e não imaginava que estava grávida, assim que adotou Gabriel.

“Hoje é a concretização de um sonho. Meu filho vai se chamar Gabriel Dias Moraes e eu digo que ele não tem problema. Mas só amor para nos dar e nós retribuímos com esse mesmo sentimento”, diz ela que iniciou todo o processo de adoção sozinha e, logo depois, chegou Rodrigo, o marido em sua vida, que agora quer também incluir seu sobrenome na certidão do filho por quem tem uma verdadeira paixão. Curioso é que esse casal trabalha na área da saúde - ela psicoterapeuta e ele fisioterapeuta – e têm a mesma idade: 31 anos. Coincidência?

Isabela e Rodrigo receberam a certidão de nascimento das mãos do juiz Sandro Pitthan, responsável pela 1ª e 2ª Varas da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital, que, igualmente emocionado, disse que “hoje o dia é de sentir, de olhar para os olhos de vocês e dessas crianças. A adoção e a entrega da certidão de nascimento é o dia do renascimento. É o encontro do amor de vocês. Quero agradecer a todas as equipes da 1ª e 2ª Varas da Infância, a presidência, as juízas auxiliares, as defensoras e a todos os envolvidos nesse processo. Cito uma frase que não é minha, que seria de John Lennon passando por Raul Seixas: sonho sonhado sozinho é tão somente um sonho, mas sonho sonhado junto se transforma em realidade”, frisou o magistrado.

Juntas há nove anos, Ana Teresa e Helena não viam a hora de ter o documento da filha Rafaela, hoje com dois anos. A menina, que nasceu prematura, é filha do casal homoafetivo desde agosto do ano passado. As duas aguardavam pela adoção com muita ansiedade há três anos.

“Hoje se encerra um ciclo para todas nós. Nossa filha terá seu registro e com muito orgulho e amor se chamará Rafaela Guingo Chaves”, disse a mãe Helena.

Participaram da cerimônia, além do presidente do TJRJ, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira e do juiz da 1ª e 2ª Varas da Infância, da Juventude e do Idoso, Sandro Pitthan, a desembargadora Daniela Brandão, coordenadora Judiciária de Articulação das Varas da Infância, da Juventude e do Idoso do TJRJ; as juízas Cláudia Leonor, Amanda Azevedo e as defensoras públicas Letícia Kirchhoff, Jucyane de Castro e Simone Moreira.

O Brasil, de acordo com o Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tem atualmente 4.102 crianças disponíveis para adoção. 

No estado do Rio, elas somam 268, sendo que desse total, 152 já estão em aproximação com algum habilitado, o que já não as deixa disponíveis.

Atualmente, a 1a VIJI e a 2a VIJI possuem, juntas, 738 processos de adoção em andamento.

Adotar é amor: Museu da Justiça ganha iluminação Roxa para incentivar campanha de adoção

O Poder Judiciário do Rio aderiu à campanha “Adotar é Amor” e iluminou a fachada do Museu da Justiça de roxo. Promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a iniciativa é alusiva ao Dia Nacional da Adoção – comemorado na última quarta-feira (25/5) – e tem o objetivo de sensibilizar a sociedade acerca da importância da adoção no país. A iluminação especial poderá ser vista até o dia 30 de maio.

PF/IA/MB

Fotos de Bruno Dantas